Avançar para o conteúdo principal

00 Seeds

00 Seeds
Medical Strains

A ENCOD precisa da sua ajuda

A ENCOD precisa da sua ajuda para ir ao UNGASS 2016 em Nova Iorque, como pode ajudar?
Pode enviar a seguinte carta a baixo aos parlamentares do nosso País, não precisa de ser fumador, precisa só de ser um consciente cidadão.


"Una-se ao desafio da ENCOD aos governos da zona euro que participaram na sessão especial da assembleia geral da ONU sobre o problema Mundial das drogas em Nova York, de 19 a 21 de Abril de 2016.

Por favor envie esta mensagem aos parlamentares do seu País. Para ver as direções clique aqui ou [contacte-nos>info at encod.org]

Estimada\o (nome do parlamentário),


Escrevemos como cidadãos* preocupados com um problema sério que afeta o futuro do nosso País. Pedimos que tomem uma posição e um esforço para solucionar o problema.
Este problema está a ser causado por as drogas, ou melhor dito: pela política de drogas.
Dos dias 19 a 21 de Abril de 2016, as Nações Unidas celebram uma sessão especial da assembleia geral sobre o problema Mundial das drogas, em Nova York. É uma oportunidade única para rever bem o impacto da política de drogas em todo o Mundo.
Depois de meio século de proibição, a produção e distribuição de drogas esta maioritariamente controla por organizações criminosas.
A proibição criou um aparato de repressão contra produtivo, custoso e a longo tempo corrupto, com muitas consequências negativas em termos de saúde pública, direitos humanos, segurança, democracia, meio ambiente e económica.

Desde aproximadamente 100 anos, houve sempre uma estratégia da parte do governo dos Estados Unidos em estabelecer uma proibição Mundial as drogas, durante muito tempo, os governos Europeus resistiram a esta estratégia. Agora os tempos mudaram. Nos últimos ano, as autoridades regionais de vários estados dos EEUU, assim como o governo do Uruguai decidiram legalizar a produção e distribuição da Cannabis. A sua experiência é que a regulação legal produz benefícios, não só para os que estão directamente envolvidos, mas sim a toda a sociedade na sua totalidade.
Solicitamos que organizem prévio ao UNGASS uma audiência pública sobre o impacto social, sanitário e económico da proibição das drogas na nossa sociedade. Perguntem aos principais visados deste impacto: os consumidores, os pequenos produtores e as suas famílias, pessoas cujas vidas foram seriamente afetadas pelo ambiente ilegal em torno do mercado das drogas. Incluam o testemunho de juízes, médicos, agentes da polícia, trabalhadores da saúde, funcionares legais das prisões, investigadores, economistas, pessoas que podem realmente explicar o verdadeiro impacto dos gastos públicos sobre o tema das drogas e como este dinheiro podia ser melhor gasto.
Depois desta audiência, pedimos-lhes que elaborem recomendações respeito à posição que o nosso País deveria defender no UNGASS em Nova York, basicamente é importante responder a seguinte pergunta: É que as convenções sobre drogas da ONU de 1961, 1972 e 1988 prevêm um marco útil e legítimo para proteger a população Mundial dos danos relacionados com as drogas?

Sem um escrutínio público do impato da atual política de drogas na nossa sociedade, e dos potenciais benefícios de uma mudança de trajeto, tanto o governo como o parlamento fracassarão na sua responsabilidade de identificar o melhor enfoque frente a um problema significativo que afeta profundamente a nossa sociedade de várias formas. Nesse caso, a presença do nosso País no UNGAS não pode ser tomada a sério.
Tomam vocês a nossa solicitação a sério?
Por favor, deixe-nos saber respondendo a esta mensagem.
Muito obrigado, cumprimentos.
A nome de, ....."

http://encod.org/info/O-DESAFIO-DA-ENCOD-IR-AO-UNGASS.html 

Desta maneira pode despertar a consciência, atenção e dedicação dos nossos parlamentares e quem sabe pode ser que decidam impor-se perante este grande problema Mundial.
Até mais.

Comentários

Vaponic

Mensagens populares deste blogue

Guia Cultivo Automáticas

Vamos falar um pouco sobre automáticas.
Auto-Flower, como o nome indica, a floração acontece automaticamente, sem necessitar de reduzir o número de horas de luz.
Quando elas apreceram pela primeira vez, ninguém as achava boas, e na verdade não eram grande coisa, mas tinham algo rico nos seus genes, porém eram muito baixas e pouco produtivas.
Os seus genes não davam para esquecer o assunto, e então, começou uma nova revolução verde, começaram os trabalhos de hibridação, testes, cruzes infinítos etc.
A medida que o tempo passou, e as automáticas foram parar ás mãos de cultivadores que sabem o que fazem, começou a segunda parte da revolução automática, com bons resultádos, e com um pouco de bom marketing as automáticas passaram de plantas sem interesse, a top de vendas.


Como não necessitam de redução do horário de luz, são mais resistentes a temperaturas frias, e estam prontas num tempo record, tornaram-se as plantas perfeitas para os cultivadores inexperientes.
Fáceis de alimentar, na …

Como eliminar o THC do seu organismo

Este é um tema que pode ainda prejudicar muita gente, e acima de tudo é a hipocrisia a reinar, se o seu patrão mandar fazer uma análise e acusar nicotina substância que mata todos os anos sem precedentes, e até álcool se tiver dentro dos padrões não lhe acontece nada, porém se acusar THC a história é outra.

Tudo o que consumimos fica "preso" ao nosso organismo, e o THC não é exceção, ele sai de maneira natural mas precisa de um limite de tempo, já que se agarra às matérias gordas.

Ele permanece uns sete dias no nosso organismo, mas ao fim desses sete dias ainda se podem encontrar uns cinquenta por cento.

Para o eliminar deixamos algumas técnicas abaixo:

Aumente a ingestão de líquidos, água ou por exemplo chá verde que é um desintoxicante natural podem ajudar a que os níveis baixem e possam ser considerados negativos. As bebidas energéticas pode confundir o teste ao adicionar um monte de novas substâncias, porém este tipo de bebidas não é muito saudável.

Durante o dia  prévi…

Obama fala sobre a Canábis

Numa Entrevistao Ex presidente Americano Obama falou sobre a Canábis, dizendo que acima de tudo apoia a ideia de desencorajar qualquer abuso de substâncias.

Porém ele diz ainda que pensa que este tema é um problema de saúde pública, e que se devia tratar como o tabaco ou o álcool, regulando para se ter um melhor controlo da situação.

O Ex presidente fala ainda sobre o trabalho da DEA dizendo que são eles que fazem as leis sobre drogas e que nem sempre vão estar na vanguarda das questões.

Agora que mais estados têm vindo a aclarar melhor este tema, legalizando inclusive o tema do consumo recreativo, justifica-se que se converse mais que nunca sobre o tema, o que falhou, o que deve ser feito, e vozes como a do Ex presidente são essenciais para se perceber qual é o caminho.