Avançar para o conteúdo principal

00 Seeds

00 Seeds
Medical Strains

Legalização da Cannabis para 2016

"Bloco de Esquerda acredita que estão reunidas as condições para aprovação e mudança da lei. Legalização faz parte do compromisso do partido desde que foi criado


No que depender do Bloco de Esquerda (BE), 2016 será o ano da despenalização do canábis em Portugal. "É um compromisso que temos. Queremos que seja o ano da legalização e cremos que temos todas as condições para que seja", afirma Moisés Ferreira, deputado do BE, que defende que a legalização traz mais segurança e afasta as redes de tráfico. O tema ainda não foi discutido com PS ou PCP, mas será, com o objetivo de "sensibilizá-los" para este caminho. "Houve uma evolução dos outros partidos desde que apresentámos a primeira proposta. Na última votação o PS absteve-se e alguns deputados votaram a favor. Temos condições reforçadas para a aprovação e a melhoria da legislação atual. O PCP também tem feito uma evolução nesta questão", diz. A proposta passará por cultivo pessoal até dez plantas e as quantidades não podem exceder o consumo médio para 30 dias.
O BE quer ainda apresentar, durante a legislatura, uma proposta para criar salas de consumo assistido. "Ainda não foi desenhada ao pormenor. É preciso garantir aos consumidores de drogas duras condições de higiene e de saúde pública. Estes centros podem contribuir para a segurança e também para a passagem para a reabilitação", diz Moisés Ferreira.
João Goulão, presidente do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências, defende cautela quanto à legalização do canábis. "É uma questão de assumir se devemos ou não devolver ao cidadão supostamente informado a capacidade de fazer as suas escolhas ou compete ao Estado tentar protegê-lo do consumo de substâncias prejudiciais. Os países da América Latina que deram o salto têm um problema judicial com as redes de tráfico. Temos tempo para ver os resultados destes ensaios. No mínimo deveríamos esperar cinco anos."
As salas de consumo assistido - aprovadas em 2000 - não avançaram porque as equipas de rua conseguiram chegar aos consumidores. Embora a ideia não esteja abandonada, dificilmente o SICAD avançará por iniciativa própria, já que o projeto pressupõe um diagnóstico local das equipas no terreno, que passaram para as administrações regionais de saúde. Se assim for, estão "disponíveis para apadrinhar e estabelecer contactos". Por esta razão parece--lhe improvável o apoio a uma proposta de um partido. No ano passado foram atendidas 8843 pessoas nas comissões de dissuasão para a toxicodependência, das quais 801 eram dependentes e a quase totalidade foi para tratamento. Das 5417 não dependentes, 2747 foram encaminhadas para estruturas de suporte. "Foi a maior originalidade da nossa lei", porque "apostaram no diagnóstico e em facilitar o acesso aos serviços de saúde".

"2016 será o ano da despenalização do canábis em Portugal.  " Mas a Cannabis já não é despenalizada em Portugal? ponto número 1.
A única coisa que me parece mais o menos correta é o número de 10 plantas por pessoa, agora que a pessoa pode ter no máximo para o consumo de 30 dias é ridículo, um cultivador que planta para ele mesmo para ter para um ano, como fica? Vai preso na mesma.
Este projeto do BE tem falhas grandes, está pouco trabalhado, e mais, deveriam entrar em contacto com os cultivadores e juntos montar um plano, assim é muito vago, nós contactamos com eles e frisamos que estávamos a pensar escrever um modelo de legalização super trabalhado, mas sem resposta, daí o interesse ser tão grande...
Outra situação caricata é a do senhor João Gaulão, que mais que ninguém deveria saber que a proibição não funciona, só trás problemas à sociedade e acima de tudo aos consumidores, assim que classifico a sua intervenção ao dizer que eram necessários mais 5 anos, como ridícula, e ao dizer isso está a defender a proibição, esteve muito mal senhor João Gaulão.

Fonte: DN

Comentários

Vaponic

Mensagens populares deste blogue

Guia Cultivo Automáticas

Vamos falar um pouco sobre automáticas.
Auto-Flower, como o nome indica, a floração acontece automaticamente, sem necessitar de reduzir o número de horas de luz.
Quando elas apreceram pela primeira vez, ninguém as achava boas, e na verdade não eram grande coisa, mas tinham algo rico nos seus genes, porém eram muito baixas e pouco produtivas.
Os seus genes não davam para esquecer o assunto, e então, começou uma nova revolução verde, começaram os trabalhos de hibridação, testes, cruzes infinítos etc.
A medida que o tempo passou, e as automáticas foram parar ás mãos de cultivadores que sabem o que fazem, começou a segunda parte da revolução automática, com bons resultádos, e com um pouco de bom marketing as automáticas passaram de plantas sem interesse, a top de vendas.


Como não necessitam de redução do horário de luz, são mais resistentes a temperaturas frias, e estam prontas num tempo record, tornaram-se as plantas perfeitas para os cultivadores inexperientes.
Fáceis de alimentar, na …

Como eliminar o THC do seu organismo

Este é um tema que pode ainda prejudicar muita gente, e acima de tudo é a hipocrisia a reinar, se o seu patrão mandar fazer uma análise e acusar nicotina substância que mata todos os anos sem precedentes, e até álcool se tiver dentro dos padrões não lhe acontece nada, porém se acusar THC a história é outra.

Tudo o que consumimos fica "preso" ao nosso organismo, e o THC não é exceção, ele sai de maneira natural mas precisa de um limite de tempo, já que se agarra às matérias gordas.

Ele permanece uns sete dias no nosso organismo, mas ao fim desses sete dias ainda se podem encontrar uns cinquenta por cento.

Para o eliminar deixamos algumas técnicas abaixo:

Aumente a ingestão de líquidos, água ou por exemplo chá verde que é um desintoxicante natural podem ajudar a que os níveis baixem e possam ser considerados negativos. As bebidas energéticas pode confundir o teste ao adicionar um monte de novas substâncias, porém este tipo de bebidas não é muito saudável.

Durante o dia  prévi…

Obama fala sobre a Canábis

Numa Entrevistao Ex presidente Americano Obama falou sobre a Canábis, dizendo que acima de tudo apoia a ideia de desencorajar qualquer abuso de substâncias.

Porém ele diz ainda que pensa que este tema é um problema de saúde pública, e que se devia tratar como o tabaco ou o álcool, regulando para se ter um melhor controlo da situação.

O Ex presidente fala ainda sobre o trabalho da DEA dizendo que são eles que fazem as leis sobre drogas e que nem sempre vão estar na vanguarda das questões.

Agora que mais estados têm vindo a aclarar melhor este tema, legalizando inclusive o tema do consumo recreativo, justifica-se que se converse mais que nunca sobre o tema, o que falhou, o que deve ser feito, e vozes como a do Ex presidente são essenciais para se perceber qual é o caminho.